Ânima em Missão Técnica Internacional na Austrália

 

Da esquerda para direita: Rafael Ciccarini (vice-reitor do UniBH) Débora Guerra (vice-reitora da Una) , Carolina Marra (vice-presidente acadêmica Ânima) e Luís Antônio Baffile Leoni (pró-reitor acadêmico da Universidade São Judas)

 

A vice-presidente Acadêmica da Ânima, Carolina Marra, está participando de mais uma Missão Técnica Internacional, para trazer para as instituições do grupo o que há de mais inovador na educação superior.

Acompanhada de Débora Guerra (vice-reitora da Una), Rafael Ciccarini (vice-reitor do UniBH) e Luís Antônio Baffile Leoni (pró-reitor acadêmico da Universidade São Judas), Carolina Marra realiza uma visita técnica na Austrália, país que se destaca pela alta qualidade e por ter um dos programas de financiamento estudantil mais eficazes do mundo, de 17 a 30/4, nas cidades de Sydney, Brisbane e Melbourne.

Ela e os demais integrantes das instituições da Ânima visitarão as universidades Macquarie, Sydney, Queensland, Southern Queensland, Swinbourne e Melbourne.

A SEMESP descreveu o porquê de a Austrália ser escolhida para a 10ª Missão Técnica Internacional:

– De acordo com o relatório Global Inititative Index 2017, a Austrália é o 6º país que mais recebe estudantes internacionais para cursos de graduação. É o 9º em número de publicações técnicas e científicas em periódicos, o 13º que mais oferta empregos em atividades intensivas de conhecimento, e o 16º que mais investe em pesquisa e desenvolvimento;

– Desde 1995, a Austrália possui uma estrutura de qualificação que serve como diretriz para todos os níveis educacionais. Com uma matriz educacional flexível, permite ao estudante o aproveitamento das competências e habilidades adquiridas ao longo de sua trajetória formativa;

– A Austrália tem se destacado em âmbito internacional como um relevante provedor de serviços educacionais, técnicos e acadêmicos. Seis universidades australianas estão classificadas entre as TOP-100 universidades em âmbito mundial, pelos ranques QS (Quacquarelli Symonds), The Times e ARWU (Shangai), e 34 universidades (de um total de 43) estão entre as TOP 800 no mundo;

– A Austrália é responsável por cerca de 3% dos resultados de pesquisa registrados mundialmente e aproximadamente 50% das publicações de pesquisa são feitas em coautoria com pesquisadores internacionais. Apenas em 2014, o governo australiano investiu cerca de U$ 9,2 bilhões no financiamento de pesquisa e desenvolvimento, distribuídos setorialmente.

A missão técnica na Austrália é mais uma iniciativa da Ânima de buscar as melhores práticas em educação em todo o mundo para implantá-las em nossas instituições, respeitando as nossas peculiaridades, sempre com foco na formação de excelência para os nossos alunos.